Catástrofe no Japão: vingança da natureza ou um prenúncio dos fins dos tempos?

Quando criei este blog, a intenção não foi exatamente ter um portal de noticias, mas  simplesmente escrever alguma coisa, mais ou menos como os artigos de opinião, expondo o meu ponto de vista sobre os principais acontecimentos que afetassem direta ou indiretamente a nossa região. Mas aos poucos, por circunstancias dos fatos, ele foi se transformando em um blog de noticias regionais e, esporadicamente posto algumas noticias de repercução nacional ou até mundial.
Neste momento o mundo está apreensivo com a catástrofe ocorrida no Japão, e não é pra menos, as cenas mostradas na TV, são realmente impressionantes.  Ultimamte  temos visto acontecimentos terríveis em todo planeta, haja vista os terremotos do Haití, Chile, China entre outros, todos com conseqüências catastróficas, mas não com a magnitude desse ocorrido agora no Japão, de 8,9 graus na escala Ricther, registrado como um dos piores da história do Japão, país já acostumado com esse fenômeno. Vale ressaltar que as conseqüências dessa tragédia ainda não se sabe até onde pode chegar, ontem um alerta de risco de tsunami foi enviado para vários países da América do Sul que são banhados pelo Oceano Pacífico, a exemplo do Chile, Colômbia, Equador entre outros. Hoje, uma explosão em uma usina nuclear aumentou ainda mais a tensão no mundo, sob a possibilidade dessa explosão ter  ocorrido em um dos reatores. Mas as autoridades daquele país já trataram de acalmar a população, dizendo que se tratava apenas de uma explosão no sistema de refrigeração da mesma.
A minha opinião a respeito desses acontecimentos é bem diferente do que geralmente pensa a grande maioria das pessoas, que atribuem esses fenômenos aos sinais do fim dos tempos ou a uma resposta da natureza ao uso desenfreado do homem dos seus recursos naturais impulsionado pelo consumismo ganancioso e sem precedentes. É sabido que a interferência humana no planeta realmente tem suas conseqüências graves, a exemplo do aquecimento global (se é que de fato existe), o assoreamento dos rios, a desertificação de muitas áreas do planeta, a alteração no ciclo das chuvas causando enchentes com inundações graves como as ocorridas recentemente aqui  no Brasil, entre outras alterações climáticas.
Acontece que esses fenômenos naturais sempre ocorreram na Terra, algumas inclusive, tiveram interferência decisiva na geografia do planeta.  Essas acomodações das placas tectônicas na crosta nada têm a ver com as ações humanas, nem muito menos com o fim dos tempos. Como eu não sou cientista não vou ficar aqui escrevendo explicações técnicas para esclarecer como ocorrem essas movimentações no fundo dos oceanos, provocando os maremotos, tsunamis ou terremotos, quando esses ocorrem nos continentes.
Aposto que você deve tá pensando…  Esse cara só pode tá doido, ou então ele não acredita em Deus. Isso são os sinais do fim dos tempos! Tá escrito na Bíblia Sagrada…!
Veja bem meu caro leitor, eu posso até tá doido, até porque realmente estando, eu não teria a lucidez suficiente para fazer um auto-diagnóstico. Agora uma coisa eu tenho certeza: Eu acredito sim em Deus. Mas acho que a gente tem que dá a Cezar o que é de Cezar, ou seja, uma coisa são as respostas da natureza às ações humanas, outra coisa são os fenômenos naturais que ocorrem em nosso planeta desde que o mundo é mundo e, outra coisa são as transformações sociais e culturais que tornaram a nossa sociedade promiscua e violenta. Neste caso eu me refiro principalmente aos estrupos, prostituição, exploração sexual, assassinatos entre familiares, crimes passionais etc. Ah então esses seriam o fim dos tempos? Certeza mesmo eu não tenho. Até porque, 1.000 anos pra mim é muita coisa, talvez pra Deus não seja.
Léo Barbosa