Everildo Pedreira, fundador do Jornal Tribuna da Chapada, morre aos 70 anos em Macajuba

Everildo criou o jornal há 40 anos, deixando seu legado como referência no setor de comunicação da Bahia
Everildo criou o jornal há 40 anos, deixando seu legado como referência no setor de comunicação da Bahia

O fundador do jornal Tribuna da Chapada, Everildo Macedo Pedreira, faleceu na madrugada desta sexta-feira (29), aos 70 anos, no município de Macajuba, na Chapada Diamantina. Everildo criou o jornal há 40 anos, deixando seu legado como referência no setor de comunicação da Bahia. O velório aconteceu na Câmara de Vereadores da cidade e o sepultamento foi realizado esta sexta com a presença de amigos, clientes e familiares. Um recado do seu filho nas redes sociais, deixou todos bastante emocionados.

Junior Macedo Pedreira lembrou da atuação do pai, falou de sua perda e da paixão de Everildo pelo jornalismo. “Perder um pai, além da imensa dor, começa a nos ensinar o valor do tempo. O que não fizemos, a visita e aquela ligação que fica para depois, a palavra não dita, a dificuldade em compreender, aquela conversa que não sai, os conselhos não seguidos, o convite abandonando sem resposta, o interesse sem muita vontade, tudo isso volta forte, jogando-nos na cara o egoísmo”.

O filho do jornalista ainda diz que “o tempo deixa de ser exercício de desperdício e começa a se transformar num bem precioso: aquele que ensina a arte de uma convivência que com ele nunca soube exercer e, já esse tempo não há como recuperar. Morre um apaixonado pelo jornalismo tradicional, um defensor dos municípios, um incansável criador de histórias, um homem obstinado pelo jornal tradicional”.

“Custou traze-lo para o ‘novo’, as novas plataformas, mas fica a mensagem de que em vida, Everildo soube, como nunca, transmitir sua alegria, sua esperança e, sobretudo, sua força em transformar sua paixão: o jornalismo verdade. Everildo tinha medo de morrer, sim tinha medo de morrer, e não escondia de ninguém, ontem em suas últimas [pelo whatsapp] me disse: ‘Filho tô com medo’. Descanse em paz meu pai, meu herói!”. (Jornal da Chapada)