Bonito: Chuva cai e causa alguns prejuízos na feira livre

Por volta do meio dia deste sábado (07), uma forte chuva chegou em Bonito, cidade situada na Chapada diamantina. A chuva durou média de 40 minutos e causou prejuízos, principalmente aos feirantes que ainda estavam com suas barracas na feira livre.

A internauta Zanny de Oliveira registou imagens do momento. A chuva foi tão forte que além de derrubar barracas, derrubou postes e arvores também.


Apesar do susto e dos estragos causados, os bonitenses comemoraram a chegada da chuva, que ameniza um pouco o sofrimento do sertanejo e dá uma trégua no período de estiagem.



Fonte: Blog Bonito Agora / Fotos: Internauta Zanny de Oliveira 

Um corpo como troféu

Por Vladimir Aras

Quando Bin Laden foi morto por forças especiais dos Estados Unidos, publiquei este post: A cabeça de Lampião, no qual chamei o líder da Al-Qaeda de “cangaceiro árabe”. Para uns, herói; para outros, vilão.Lampião podia ser o “terrorista sertanejo”. Herói ou vilao? Até hoje o Nordeste se pergunta…
Para ilustrar o post, utilizei a imagem ao lado, famosíssima foto que retrata o tratamento dado pela briosa Volante do Tenente João Bezerra da Silva (PM/AL) ao líder do Cangaço, Virgulino Ferreira, morto em Poço Redondo/SE, no semi-árido nordestino, lá pelos idos de 1938.
Sua cabeça e as de seus companheiros mortos foram tratadas como prêmio e exibidas na escadaria da Prefeitura de Piranhas/AL, no que ficou conhecido como o “Altar de Lampião”. Em seguida, sua cabeça e a de sua esposa Maria Bonita ficaram expostas por anos no Museu Antropológico do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, em Salvador. Exótico e bizarro troféu.
A volante que, nos anos 1930, consumou o histórico cerco à Gruta de Angicos, perto do Rio São Francisco, entre Alagoas e Sergipe, posou para uma foto igualmente famosa, ao lado dos corpos dos cangaceiros do grupo de Lampião.

Compare com a foto abaixo.
Volante alagoana posando com os corpos dos cangaceiros (Angicos, 1938)
Volante alagoana posando com os corpos 
dos cangaceiros (Angicos, 1938)
É o corpo de “Coninho“, membro de uma quadrilha que assaltou o Banco do Brasil na cidade de Mucugê, na Chapada Diamantina, no início deste mês de novembro de 2013. Diz a imprensa que a PM foi levada a matar o bandido. Este teria atirado nos policiais para não ser preso. É bem provável que tenha sido este o enredo, o que situa a operação policial nos limites da legalidade.
Policiais posam junto ao corpo da presa (Bonito-BA, 2013)
Parabéns aos policiais que rastrearam o assaltante. Até aí cumpriram seu dever. Mas não posso cumprimentá-los pela foto que tiraram. Sei que as emoções ficam em alta num momento de confronto. Mas não é este o tipo de imagem que uma corporação policial deve produzir num local de morte violenta. As fotos devem documentar a ação policial para que se investigue a dinâmica do evento, e não um feito heróico ou algo semelhante. Não é fotografia para Facebook.
Não sei se foi este o caso, mas não são poucos os relatos de “autos de resistência” que não correspondem à realidade. Se o bandido em questão reagiu à ação da PM, a perícia poderá dizer, desde que tenha sido preservado o local do fato, como há mais de 70 anos determina o artigo 6º, inciso I, do CPP.
Obviamente, o breve ”Coninho” não se compara a Lampião. Segundo dizem, era um bandido comum, violento e que merecia cadeia. A PM baiana cumpriu seu papel ao localizá-lo e encurralá-lo. Há, contudo, uma incômoda semelhança entre as duas imagens: o orgulho dos homens da lei junto ao cadáver, em 1938 e em 2013. E esta é também a diferença relevante em ambas: o tempo que as separa, 75 anos.

A Polícia é a mesma (a Militar, mas a da Bahia). A região é similar: o semi-árido do Nordeste, na região de Bonito, comarca de Utinga. Foi onde comecei minha vida profissional como promotor de Justiça.
Do mesmo modo que caçadores ainda fazem com animais bravios nas selvas africanas, forças da lei aqui e alhures abatem seus alvos e provam o feito. Muitas vezes, não se tem um preso, mas uma presa.
A “satisfação” de muitos brasileiros com uma imagem como esta reflete a insatisfação de outros tantos com a ineficiência e a benevolência do nosso sistema penal-processual, que, a pretexto de garantir direitos dos acusados (muitos legítimos e devidos), sempre costuma arrumar desculpas, às vezes esfarrapadas, mas tão desejadas pelo “coitadismo penal”. Há que se encontrar um meio termo. Nem execuções sumárias nem o cafuné processual.
Embora esta seja uma imagem impactante, é menos chocante do que a das vítimas inocentes de todos os dias. Não é preciso que me lembrem. Eu sei! Cinquenta mil mortos por ano só no Brasil. Muitos destes são ou podem ser nossos parentes ou amigos.
Mesmo assim, é válida uma reflexão. Como em 1938, eles, os bandidos, os maus (e muitos são maus mesmo) continuam sanguinários e violentos. Nós também, os bons, mudamos pouco. Lampião, Bin Laden, “Coninho”… O corpo do criminoso continua sendo um troféu
Fonte: BLOG DO VLAD (Artigo de autoria de Vladimir Aras)

Imagem que circula na internet parabeniza ação da PM e pede fim da hipocrisia

Nesta semana, uma foto divulgada em redes sociais, de policiais militares com um acusado de chefiar uma quadrilha responsável por assaltos a bancos no sertão do Estado, gerou bastante polêmica. O comando da PM da Bahia, inclusive, instaurou sindicância para investigar o caso. Na imagem, 19 policiais aparecem com metralhadoras ao lado do corpo do suspeito. A operação foi realizada pelos PM’s na região de Bonito, a 443 km de Salvador. Rapidamente, a repercussão da fotografia ganhou as redes sociais e os veículos de imprensa. De um lado, há algumas críticas, mas de outro há quem ‘venere’ a atuação, a exposição policial e parabenize a ação. Como prova disso, nas redes sociais, circula agora uma montagem que faz o seguinte questionamento: “Qual imagem você prefere ver? Precisamos acabar com a hipocrisia neste país, reclama por falta de segurança, mas reclamam quando a PM age. Parabéns!!!”. (Bocão News)

Foto de policiais com cadáver será objeto de sindicância, afirma comando da PM-BA

Foto de policiais com cadáver será objeto de sindicância, afirma comando da PM-BAUma foto de policiais militares em uma operação no município de Bonito, na Chapada Diamantina, onde aparecem em pose em torno do corpo de um homem identificado como “Coninho”, apontado como líder de uma quadrilha que assaltou uma agência bancária em Mucugê na última quinta-feira (7), será motivo de sindicância por parte da corregedoria da PM-BA. A imagem foi repercutida em vários sites e blogs na internet desde domingo (10). De acordo com nota da assessoria da corporação, em resposta ao Bahia Notícias, a entidade “não coaduna com o comportamento adotado pelos policiais militares da CIPE Semiárido que posaram numa foto exibindo o corpo de um criminoso responsável pelo roubo de uma agência bancária no município de Mucugê, na última quinta-feira (7)”. No texto, a Polícia Militar sinaliza que não deixará o fato cair no esquecimento. “A Corporação irá apurar o fato através de sindicância instaurada pela Corregedoria Geral”, diz a nota. O caso aparece dias depois de a PM-BA ser apontada na sétima edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública como a que mais mata no país, ao mesmo tempo em que tem a aprovação de mais da metade dos baianos (54%). A foto também chamou a atenção da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB-BA), que deve levar o caso ao plenário da instituição. Segundo o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da secção baiana da OAB, Eduardo Rodrigues, a imagem traduz uma falta grave às regras de convivência em um Estado de Direito. “Não é porque o sujeito está morto que se tem o direito de desrespeitar o corpo dele, além de seus familiares. A polícia também não pode usar o corpo de alguém como um troféu”, disse o advogado em entrevista ao BN. Rodrigues disse que uma audiência já havia sido marcada com a PM-BA, antes do ocorrido em Bonito, para tratar de assuntos referentes ao trabalho policial no estado. (Bahia Notícias/ Francis Juliano)

Banda Vida Bandida e Tayrone Cigano são entrevistados na Caraíbas FM neste sábado

Por volta do meio dia deste sábado, a Banda bonitense Vida Bandida deu entrevista na Rádio Caraíbas FM ao lado do cantor Tayrone Cigano.
Tarcísio e Yuk vocalistas da Vida Bandida, deram algumas palinhas com participação de Tayrone.
Tayrone aproveitou a oportunidade para agradecer ao público de Bonito e da região que curtiu seu show no V festival regional do café.

A Banda Vida Bandida que esteve em Morro do Chapéu na última sexta-feira, estará neste Sábado em João Dourado juntamente com Tayrone Cigano e Markinhos Forro Furado. (Bonito Agora))

Moradores fecham BR em protesto contra baixa do preço do café

Produtores de Café da região de Itabela, na Bahia, bloquearam na manhã desta quinta-feira (7), os dois sentidos da BR-101. Eles fizeram um protesto para chamar a atenção sobre a desvalorização do valor do café e o aumento do desemprego na região. Com tratores, carro de som e muitas sacas de café, os produtores fecharam a via. “Fechamos a via desde as 7h. A manifestação é por conta do valor da saca de café que antes era vendido entre R$ 270 e R$ 300 e agora só está sendo vendido por no máximo, R$ 170”, disse. (G1)

Conheça um pouco da história da Banda Desejo de Menina que se apresentará em Bonito neste domingo 27

Ao longo de oito anos de carreira, a Desejo de Menina conquistou uma legião de fãs em todo o país, admiradores da originalidade e qualidade musical inigualável da banda, que ostenta o título de “forró mais romântico do Brasil”.
Nos shows sempre lotados, o repertório composto por músicas próprias e cheias de sentimento contagia o público, que canta em coro todas as canções da Desejo.
Ao todo, foram lançados sete CDs. Logo no primeiro, intitulado “De corpo, alma e coração”, as canções “Paixão Fatal”, “Pra sempre em meu viver” e “Não me deixe” viraram sucesso e impulsionaram a carreira da Desejo de Menina.
Em 2004 foi lançado o álbum “Estórias” e em 2005 foi a vez do CD “Moldura”, que emprestou seu título ao primeiro DVD da banda, gravado no ano seguinte.
Com a gravação do primeiro DVD a Desejo de Menina ganhou destaque internacional e em 2007 a lançou seu 4º CD, “Diga sim”. A música de trabalho do novo álbum, “Diga sim pra mim”, rapidamente tornou-se um fenômeno de execução nas rádios, o que rendeu o prêmio de Melhor Banda de Forró, entregue pela Nativa FM no palco do Canecão, importante casa de shows do Rio de Janeiro. Em 2008 a Desejo de Menina gravou o seu segundo DVD, “Diga sim pra mim”.
O 5º álbum, intitulado “Você de volta” marcou a carreira da banda, com sucessos como a canção homônima “Você de volta” e “Sua casa”.



Com uma nova formação, tendo a sua frente os vocalistas Yara Tchê, Anny Barbie, Alessando Costa e Daniel Almeida, a Desejo de Menina lançou em 2010 seu 6º CD. Todas as músicas do álbum “Esperando você” tornaram-se verdadeiros hits e as faixas “Esperando você” e “Sem teu amor nada é igual” ganharam vídeo clipes, gravados no Rio de Janeiro em São Paulo.
Em abril do mesmo ano a Desejo de Menina gravou o 3º DVD de sua carreira, em Natal – RN. Foi uma super produção, com alto padrão de qualidade, tecnologia e o que há de mais moderno em sonorização e estrutura.
“Cumplicidade” é o título do 7º CD da Desejo de Menina e da música de maior sucesso de 2011. O Brasil todo cantou o hit, que foi regravado pro várias bandas de forró. A canção “Baby, fala pra mim” também caiu no gosto do público e foi regravada pela dupla sertaneja Cérsar Menotti & Fabiano e pelo cantor Leonardo.
Tamanho sucesso colocou a Desejo de Menina entre as bandas de forró mais respeitadas do país e o resultado não poderia ser outro: mais de 15 mil pessoas compareceram à gravação do 4º DVD da banda, em João Pessoa.

Acidente com vítima fatal em Bonito

Foto: Reprodução Facebook

Um grave acidente vitimou a jovem Juliana Souza na noite desta sexta-feira (25), na cidade de Bonito.
De acordo com informações de populares, Juliana atravessava a rua, quando uma moto, que segundo informações era pilotada por um jovem de 16 anos a atropelou. Juliana morreu no local do acidente. O acontecido abalou os moradores da cidade. A cidade de Bonito esta em festa realizando o Festival do Café, Juliana estava na festa que na noite desta sexta recebeu a Banda Raça Negra. (morronoticias)

Jovem bonitense morre em acidente em Luiz Eduardo Magalhães

Edilauro Santos Souza, de 21 anos, morreu no início da tarde desta sexta-feira, 25, uma hora e meia após colidir sua motocicleta Honda CG contra uma caçamba no cruzamento das ruas Itabuna e Teixeira de Freitas, no bairro Santa Cruz, na cidade de LEM. O acidente foi por volta das 13h20. De acordo com as informações colhidas no local do acidente, Edilauro transitava com sua moto pela Rua Itabuna, sentido Praça do Onero Costa, quando acabou colidindo com a caçamba no cruzamento com a Rua Teixeira de Freitas.

Ainda de acordo com informações, um ônibus, que também seguia pela Rua Itabuna, teria parado para dar passagem para o caminhão caçamba. Edilauro teria continuado e atingido a lateral da caçamba.
O motociclista teve uma séria fratura na cabeça. O capacete que ele usava ficou destruído.
Uma equipe médica do SAMU passou cerca de uma hora e meia lutando pela vida do rapaz. Mas, Edilauro não resistiu e morreu.
O corpo do motociclista foi levado para o necrotério da UPA e depois encaminhado para o IML de Barreiras.
Edilauro deixa a esposa e uma filhinha de apenas 50 dias.
O motorista da caçamba, de acordo com a polícia militar que registrou o acidente, fugiu do local.
A polícia civil vai investigar as causas do acidente. (Barreiras Notícias)

Cantor de banda de pagode é preso por espancar namorada

O vocalista da banda de pagode o Black, Antônio Vivaldo Brian de Freitas Ferreira, 30 anos está sendo acusado pela namorada de ter espancado a jovem e levado para o Centro Industrial de Aratu (CIA), em Simões Filho, onde foi estuprada. De acordo com a mulher, “Brian” ficou irritado ao ver ela vestida com uma roupa que não teria o agradado. “Saímos de casa e ele questionou o tamanho do meu short. Discutimos por uns cinco minutos e quando chegamos no Lobato ele me deu um soco no rosto”, disse.

Segundo ela, a agressão veio seguida de puxões de cabelo e tapas. “Ele parou o carro e começou a me esmurrar. Tentei escapar abrindo a porta, mas ele mordeu a minha perna e agarrou o meu cabelo”, conta a vítima que não conseguiu sair do veículo. Eles percorreram toda a Av. Suburbana, Centro da cidade, até chegar à Av. Vasco da Gama. “Ele mora no Engenho Velho de Brotas e conhece um pessoal em uma localidade conhecida como “Forno”. Me obrigou a descer do carro e a entrar nesse lugar, mas eu me neguei e aí apanhei no meio da rua”.

Ainda de acordo com relatos da vítima, Brian “gritava o meu nome e dava gargalhadas. Meu rosto estava desfigurado e ele mandava eu ligar para a minha mãe. Pediu para eu dizer que ela iria chorar a minha morte no outro dia. Ele ainda teve a coragem de me estuprar”, afirmou. “Agradeço a Deus porque policiais militares da Caatinga passavam pelo local e desconfiaram do carro. Ele tentou fugir com o veículo, mas os policiais conseguiram parar” relatou.

O acusado e a namorada forma levados para a 22ª Delegacia Territorial (DT/ Simões Filho). O cantor permanece preso na carceragem da unidade policial, mas segundo o delegado titular, Adailton Adan, ele foi enquadrado pela Lei Maria da Penha e os crimes foram considerados afiançáveis.
A jovem passou por exames no Instituto Médico Legal (IML). Os laudos que deverão comprovar as agressões e estupro saem em 90 dias.