Piora o estado de saúde do ex-piloto alemão Michael Schumacher

Piora o  estado de saúde do ex-piloto alemão Michael Schumacher

O estado de saúde do ex-piloto alemão Michael Schumacher piorou durante a tarde deste domingo, 29.  O heptacampeão mundial de F-1  sofreu um trauma após bater a cabeça em uma pedra enquanto esquiava na estância turística de Meribel, na França. Segundo a rádio francesa Europe 1, que noticiou o incidente, Schumacher estava acompanhado de seu filho na pista de esqui. 


Depois da queda, o ex-piloto foi levado de helicóptero para um hospital local. O diretor da estação de esqui, Christophe Gernignon-Lecomte, disse que Schumacher estava consciente quando foi atendido. O ex-piloto foi encaminhado para o Hospital Universitário de Grenoble, onde realizou uma ressonância magnética do cérebro.


 O jornal RMC Sports noticia que o alemão está com hemorragia cerebral em estado crítico, informação que ainda não foi confirmada pelos médicos. A equipe médica do hospital realizaria uma coletiva de imprensa nesta tarde, mas o evento foi cancelado. (Metro1)

Brasil bate a Sérvia, faz história e é campeão mundial de forma invicta

Essa é uma história de dedicação, luta, derrotas, vitórias e sonhos. E não poderia ter outro fim. A primeira medalha do handebol brasileiro em mundiais não é de bronze, nem de prata. É de ouro. Diante de uma Arena Belgrado fervendo e barulhenta, contra 20 mil e mais sete rivais em quadra, as meninas do Brasil não se intimidaram. Vibraram quando tinham que vibrar. Fizeram faltas quando foi necessário. Reclamaram da arbitragem. E jogaram. Jogaram muito. Frias, Alexandra e cia. calaram a Sérvia, venceram por 22 a 20 e entraram para a história da modalidade no país, conquistando o título mundial de forma invicta. Mais cedo, a Dinamarca derrotou a Polônia e garantiu o bronze. 



A vitória diante das sérvias foi a segunda no Mundial, a nona em nove jogos na competição, para não deixar dúvidas sobre a conquista invicta. Para completar, Babi ainda entrou para a seleção do Mundial como a melhor goleira, e Duda foi eleita a MVP (sigla em inglês para jogadora mais valiosa) da competição.
Sem se importar com a pressão da torcida sérvia, o Brasil começou a decisão marcando bem. Babi, com três minutos, já tinha feito duas defesas salvadoras, e Fernanda, colocado a seleção na frente por 2 a 1. Ana Paula fez mais um. Dara, aos cinco, levou suspensão de dois minutos, e a Sérvia diminuiu com Damnjanovic. Alê, em contra-ataque tramado com Deonise, fez 5 a 3. Em quatro minutos, as anfitriãs viraram com Cvijic (duas vezes) e Damnjanovic: 6 a 5. Pressionada, a arbitragem irritava as brasileiras.

Aos 16, a Sérvia abriu 8 a 6, mas Ana Paula logo diminuiu. Civjic, impossível no ataque, levou dois minutos por falta em Dani Piedade. Após quatro minutos sem gols dos dois lados, Alê empatou: 8 a 8. Sem sair da margem de um gol, a seleção mantinha o jogo sob controle, mesmo perdendo por 10 a 9, até Alê, com um golaço por cobertura, empatar. Déborah Hannah, dois minutos depois, colocou o Brasil de novo na frente: 11 a 10. Fria, Alê abriu três gols de vantagem aos 29, fechando a primeira etapa em 13 a 11, com as sérvias ficando seis minutos sem gols.
O Brasil voltou para a segunda etapa com o mesmo ritmo. Com cinco minutos, vencia por 16 a 11, abrindo cinco gols com Duda (duas vezes) e Deonise. Aos sete, a Sérvia fez dois gols com Lekic e Ognjenovic: 16 a 13. O ginásio foi ao delírio quando Tomasevic pegou dois sete metros seguidos, mantendo o placar no mesmo lugar. Aos 12, a Sérvia voltou a apertar no marcador. Com Zivkovic e Damnjanovic, trouxe a diferença para um gol apenas. Com duas suspensões de dois minutos seguidas, as anfitriãs levaram mais um gol de Alê, na ponta. Aos 15, na metade da etapa, a seleção vencia por 18 a 16.
Sem funcionar na segunda etapa, Babi deu vaga para Mayssa no gol. Com a torcida jogando junto, a Sérvia dificultava cada ataque do Brasil, marcando muito. Ana Paula, aos 19, colocou de novo a seleção no jogo: 19 a 17 Brasil. Aos 22, na pressão, a Sérvia conseguiu diminuir para um gol com Krpez. Quando a Sérvia ia empatar, Mayssa, incrível, parou Damnjanovic no contra-ataque, cara a cara, com o pé. Nisavic, aos 20, empatou o jogo em 19 a 19. Dani Piedade, no pivô, colocou o Brasil de novo na frente. Lekic, aos 27, empatou de novo, em 20 a 20. Déborah, um monstro quando entrou, fez 21 a 20, aos 28. Aos 29, Ana paula fez golaço, Mayssa salvou lá atrás e o Brasil abriu dois gols: 22 a 20, ficando a 50 segundo do título mundial.

Escalações
Sérvia: Tomasevic; Milosevic, Damnjanovic, Popovic, Eric, Ognjenovic e Cvijic. Entraram: Lekic, Zivkovic, Krpez, Filipovic, Rajovic e Risovic.
Brasil: Babi; Dara, Duda, Deonise, Alê, Fernanda e Ana Paula. Entraram: Dani Piedade, Mayara, Déborah Hannah, Samira e Dani Piedade.

Primeira fase (Grupo B):
Brasil 36 x 20 Argélia
Brasil 34 x 21 China
Brasil 25 x 23 Sérvia
Brasil 24 x 20 Japão
Brasil 23 x 18 Dinamarca

Oitavas: Brasil 29 x 23 Holanda
Quartas: Brasil 33 x 31 Hungria
Semifinal: Brasil 27 x 21 Dinamarca
Final: Brasil 22 x 20 Sérvia

Galo perde para o Raja e é eliminado do Mundial

Abdelilah Hafidi e Pierre, Atlético-MG x Raja Casablanca (Foto: Reuters)

Derrota por 3 a 1 em noite trágica em Marrakesh interrompe sonho mundial do Atlético e coloca surpreendente time do Marrocos na final do torneio
Para o clube que sempre acreditou, é inacreditável. O Atlético viu seu maior sonho se transformar no maior dos pesadelos nesta quarta-feira. Viu a terra encantada de Marrakesh virar um lugar maldito. Viu tudo ruir: esperança, fé, um lugar na eternidade. Viu o Raja Casablanca, com vitória por 3 a 1, ir à final do Mundial de Clubes e arrebentar com milhões de corações atleticanos – milhares deles presentes no Marrocos. O elenco campeão da Libertadores, histórico, encontra o outro lado da moeda. É uma enorme tragédia. É um dos piores dias, talvez o pior, dos mais de 100 anos de vida do Galo.
Foi uma derrota avassaladora, que remete a 2010, quando o Inter foi eliminado pelo Mazembe, da República Democrática do Congo. O Raja Casablanca saiu na frente, o Galo empatou com Ronaldinho, e aí os africanos fizeram mais dois e levaram ao delírio, a um júbilo histórico, sua apaixonada torcida. O futebol marroquino vive um momento sem igual. É um dia para a posteridade.


Com a vitória, o Raja pega o Bayern de Munique na final. O jogo será no sábado. Sua prévia será a disputa do terceiro lugar, entre o Atlético e o Guangzhou Evergrande, da China. 
oi assustador. O Atlético jogou mal no primeiro tempo. Caiu na areia movediça da estreia, se enredou nas teias do temor de uma eliminação prévia. Não conseguiu encaixar seu ataque e ainda sofreu horrores em sua defesa – muito mais do que sua torcida queria e previa. A persistência do 0 a 0 foi um alívio.


Desde o começo, o Raja mostrou que se sentia capaz de encarar os brasileiros e seu evidente favoritismo. Os marroquinos foram agressivos, ousados. Não se amedrontaram. E foram crescendo aos poucos, de forma quase imperceptível, até explodir em duas chances claras. Na primeira, aos 35, Moutaouali pegou cruzamento da esquerda e mandou o chute. Victor, beatificado seja, espalmou. Pouco depois, o mesmo jogador recebeu livre pela esquerda e bateu cruzado. Foram os suspiros de todos os atleticanos que fizeram aquela bola sair.
Ressalve-se, porém, que o Atlético conseguiu ter controle de boa parte do primeiro tempo. Lá pelo 15 minutos, entrou no jogo, tramou jogadas, triangulou, procurou Jô, usou Ronaldinho. E quase marcou também. Fernandinho avançou pela esquerda e acionou Lucas Cândido, que mandou o cruzamento. Jô arremessou o corpo na bola do jeito que deu. Conseguiu desviá-la. Mas ela, maldosa, subiu e decidiu sair. Fernandinho, de novo, em outra chance, em chute cruzado, viu a bola passar rente à trave africana.
Às favas com os minutos finais do jogo, com a luta final do Atlético, com a batalha final pelo empate, que ainda acabou em terceiro gol do Raja, de Mabide, aos 48 minutos do segundo tempo, depois de bola na trave de Moutaouali em toque por cobertura de Victor. O resto é silêncio, é dor, é incredulidade.


Porque é impossível acreditar. A torcida que sempre acreditou agora luta contra o inacreditável.

Portuguesa é punida e rebaixada, e Flu fica na Série A, mas cabe recurso

FRAME julgamento STJD (Foto: Reprodução)A Portuguesa perdeu por unanimidade a primeira batalha nos tribunais e, em decisão em primeira instância, foi condenada com a perda de quatro pontos (além de multa de R$ 1 mil) por escalação irregular do meia Héverton na última rodada do Brasileiro, contra o Grêmio. Com o resultado, a Lusa caiu da 12ª para a 17ª posição e está rebaixada à Série B, com 44 pontos, e o Fluminense, com 46 pontos, sai da zona de rebaixamento e se mantém na elite (veja vídeo com a decisão). A diretoria da equipe paulista já confirmou que entrará com recurso no Pleno do STJD, que deve ser julgado até o dia 27 de dezembro.
O presidente da Portuguesa, Manuel da Lupa, não escondeu sua revolta com o resultado do julgamento e falou em favorecimento:

– Se fosse o contrário, o resultado não seria esse. Tanto é que em 2010 não tiraram o título do Fluminense porque era imoral. E a Portuguesa cair não é imoral, o problema é esse. Nós vamos entrar com o recurso no Pleno, vamos ver como fica, e depois vamos tomar as medidas que pudermos. Vamos lutar até onde der. Podemos ir à Fifa, ir à Justiça comum. A Portuguesa não vai cair por uma votação desse tipo. A gente aceita, mas não concorda. A gente acata a decisão, mas vamos rediscutir. Se for mantido, vamos até o final. Não é melhor manter o resultado do campo? Não é um absurdo mudar o resultado que nós lutamos tanto para conseguir, e o Fluminense, que é um grande clube, não teve capacidade? E agora tem que inverter? É um absurdo. Depois falamos que é tapetão e o pessoal fica zangado.

Indignado, o dirigente fez uma acusação forte em entrevista ao SporTV:

– Quando eu entrei aqui, me disseram que o resultado já estava decidido. Não vou dizer quem foi, mas a pessoa me disse que seria por 4 votos a 1 ou 5 a 0.

O Flamengo será julgado em seguida por escalação irregular do lateral-esquerdo André Santos contra o Cruzeiro. Mas com a perda de pontos do time paulista, o Rubro-Negro não corre risco de ser rebaixado, pois caso seja punido cairá a 45 pontos. Flamengo e Fluminense se colocaram como partes interessadas no processo para poderem fazer sustentações de suas partes durante o processo.

Héverton foi suspenso em julgamento na sexta-feira, dia 6/12, e escalado no fim de semana (entrou aos 32 minutos do segundo tempo contra o Grêmio), o que acarretou uma notícia de infração feita pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ao tribunal. A Lusa foi denunciada no artigo 214 (Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), com previsão de perda de três pontos, mais o que foi conquistado na partida em questão, no caso, um ponto, somando quatro pontos. (G1 Esporte)

Com jogador irregular, Portuguesa pode ser rebaixada e salvar Fluminense

Com jogador irregular, Portuguesa pode ser rebaixada e salvar Fluminense
Foto: Reprodução / TV Globo

Mais uma vez o Fluminense pode se salvar do rebaixamento após o fim do Campeonato Brasileiro. Em 1996, o clube carioca conseguiu se safar no chamado “tapetão”, quando a CBF mudou o regulamento no ano seguinte, criando a Copa João Havelange e convidou o Flu para permanecer na Série A. Desta vez, a salvação pode vir de uma manobra supostamente irregular da Portuguesa. De acordo com o site Globoesporte, o meia Héverton – expulso contra o Bahia – entrou em campo no último domingo, contra o Grêmio, quando ainda deveria cumprir o segundo jogo de suspensão. O caso já está no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e segundo o procurador geral da entidade, Paulo Schmitt, a CBF deve enviar ao Tribunal uma notícia de infração nesta quarta-feira (11). A punição seria a perda de quatro pontos, três mais o número de pontos conquistado no jogo, situação que rebaixaria a Lusa para a Segundona com 44 pontos e salvaria o Fluminense. Ainda segundo Schmitt, o lateral-esquerdo André Santos, do Flamengo, também teria atuado de forma irregular na última rodada. Expulso contra o Atlético-PR na segunda partida da final da Copa do Brasil, o jogador também foi julgado na última sexta e pegou um jogo, mas mesmo assim enfrentou o Cruzeiro no sábado. Mas a possível perda de quatro pontos do Rubro-Negro não mudaria a classificação final da competição. (Bahia Notícias)

Veja os grupos da Copa do Mundo 2014

Na tarde desta sexta-feira, 6, a FIFA sorteou os grupos da Copa do Mundo de 2014.
A tabela do sorteio ficou composta da seguinte maneira:
Grupo A:
Brasil, Croácia, México e Camarões
Grupo B:
Espanha, Holanda, Chile e Austrália
Grupo C:
Colômbia, Grécia, Costa do Marfim e Japão
Grupo D:
Uruguai, Costa Rica, Inglaterra e Itália
Grupo E:
Suiça, Equador, França e Honduras
Grupo F:
Argentina, Bósnia, Irã e Nigéria
Grupo G:
Alemanha, Portugal, Gana e Estados Unidos
Grupo H:
Bélgica, Argélia, Russia e Coreia do Sul
grupos copa do mundo 2014

Comentarista esportivo se irrita e abandona o programa ao vivo

Comentarista esportivo se irrita e abandona o programa ao vivoDurante a apresentação do programa ‘Esporte Cidade’, transmitido ao vivo em Teresópolis e Bonsucesso, no Rio de Janeiro, o comentarista esportivo José Carlos Lippi ficou bastante irritado, criticando a postura do programa e alegando não ter espaço suficiente para comentar e fazer análises do que queria. Lippi, então, levantou e foi embora. 

“Dá para botar esta porcaria (imagem) aqui? Eu sou obrigado a falar que este programa está uma p… eu não tenho oportunidade de comentar. Todo mundo fala, todo mundo fala e eu não posso comentar nada!”, desabafou. “Eu estou de saco cheio disso aqui… Eu não preciso de um minuto pra falar”, finalizou.(Metro1)

Seleção de Utinga leva o título da Copa Roberto Batista Senhores de Bonito

No dia 24 de agosto foi realizado no estádio “O Edinhozão” em Bonito a grande final do campeonato de senhores, um jogo que contou com grande empenho das equipes participantes e ótima participação dos torcedores. Com gols de Gilmar e Ronivaldo pra Utinga e Ladú pra salobro, a equipe de Utinga comemorou mais um titulo. Após o grande sucesso desse campeonato. A secretaria de esportes já prepara o municipal de futsal que costuma ser disputado com atletas do município e com grande participação de torcedores. Com informações da página do Facebook PMB.

Reforma estatutária do Bahia é aprovada por maioria esmagadora

Cerca de 15 mil torcedores foram à Arena Fonte Nova, neste sábado (17), para registrar o que já é considerado um dia histórico para o Esporte Clube Bahia. Hoje, os tricolores decidiram pela mudança do estatuto do Clube.

Entre as propostas que passam a vigorar estão:
 
1-      Eleição direta para presidente e remuneração do cargo
2-      Mandado tampão sem direito à reeleição
3-      Redução do Conselho Deliberativo
4-      Ficha-limpa para os candidatos

5-      Redução da maioridade eleitoral de 18 para 16 anos e fim de carência para filiação
CONTAGEM DOS VOTOS DOS SÓCIOS ANTIGOS:
 
SIM – 347
NÃO – 1
NULOS – 8
 
CONTAGEM DOS VOTOS DOS SÓCIOS NOVOS:
SIM –  2.742 
NÃO – 5
NULOS – 17 NULOS 

TOTAL DOS VOTOS – SÓCIOS ANTIGOS E NOVOS
SIM – 3.089
NÃO – 6
NULOS – 25


Informações do repórter Leonardo Santana

Utinga é Campeã da Copa Otto Alencar

A Seleção de Futebol de Utinga sagrou-se campeã da Copa Otto Alencar disputando a final contra a Seleção de Ruy Barbosa com um placar de 1 X 1 no tempo regulamentar e 4 X 3 na disputa de pênaltis. A trajetória da Seleção Utinguense é digna de admiração e aplausos. Foi uma conquista suada, de muita coragem, tenacidade e persistência. Depois da derrota do 1º jogo do campeonato, os atletas não se abateram. Fizeram do infortúnio uma motivação para a conquista definitiva do título. A cada jogo que se sucedia o entusiasmo e a determinação dos jogadores só aumentavam e isso refletia nos resultados das partidas: 4 X 0 contra a Seleção de Lajedinho e 4 X 0 contra o Bonito. Na disputa da semifinal com Boa Vista do Tupim o resultado foi um empate de 2 X 2, indo para a disputa de pênaltis, onde também se saiu vitoriosa de um 4 X 3. Em entrevista a este site o Prefeito Alberto Muniz fez uma analogia entre o histórico da Seleção Utinguense e a sua administração. Segundo Alberto Muniz a Seleção não se abateu com um primeiro resultado não satisfatório. Pelo contrário, fez das dificuldades uma mola propulsora para lutar pelo objetivo final. No caso da administração, as dificuldades iniciais estão sendo gradativamente sanadas e Utinga começa a se desvencilhar dos obstáculos que estão em seu caminho, dificultando o seu progresso. “Analisando o empenho dos nossos atletas, miro no exemplo deles e reafirmo a minha filosofia de vida e de administrar. Não é fácil, mas com a ajuda de Deus, juntamente com a eficiência dos funcionários e o apoio da população, vamos devolver a Utinga o lugar que ela merece e de onde nunca deveria ter saído: uma cidade destaque na Chapada Diamantina e, por extensão, na Bahia. Uma cidade onde prevaleça a solidariedade, o progresso, o trabalho digno, um comércio forte, uma educação realmente libertadora, uma saúde de qualidade, uma agricultura produtiva, um turismo sustentável, um esporte saudável, enfim, uma cidade à altura dos utinguenses”.(Site oficial da Prefeitura)