Ex-prefeito que mandou matar professor é condenado a 34 anos de prisão

Depois de quase dez anos os assassinos do professor Paulo Bandeira foram condenados. Após quatros dias de julgamento, os jurados decretaram, na noite desta quinta-feira (21), a sentença que resultou na condenação de três dos quatro réus. O ex-prefeito de Satuba, Adalberon de Moraes, considerado o autor intelectual do crime, foi condenado a 34 anos e 4 meses de prisão em regime fechado por mandar matar o professor que denunciava desvios de verbas da Educação naquele município.
Já os militares Ananias Oliveira, que foi condenado a 31 anos de reclusão, e Geraldo Augusto, condenado a 28 anos e 8 meses, responderão pelo crime em liberdade. Já o quarto réu, Marcelo José, foi absolvido pelo júri. Após a leitura da sentença pelo juiz John Silas, os advogados de defesa dos réus condenados informaram que vão recorrer da decisão judicial.
Adalberon de Moraes já está cumprindo pena por desviar recursos públicos enquanto estava à frente da prefeitura de Satuba. Assim, ele não terá redução da atual pena porque já responde por outros crimes. Desta vez, foram considerados para a soma das penas os crimes de homicídio qualificado, sequestro e ocultação de cadáver.
A viúva do professor acredita que a justiça foi feita. “Foi um julgamento histórico. Nosso Paulo plantou esta semente, a semente de justiça. Ele foi o grande vitorioso nesta batalha”, desabafou Cilene Bandeira. (G1 AL)

Lula vai ao Sírio-Libanês de madrugada para tratar de um câncer no pulmão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a ter graves problemas de saúde. Semana passada, na quinta e no sábado, sempre no meio de madrugada e dentro de uma ambulância bem equipada, Lula fez duas idas de emergência ao Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O problema dele agora é um nódulo no pulmão. O novo câncer pode ser uma metástase ocorrida a partir do enorme tumor na laringe – que a equipe do médico Roberto Kalil garantiu ter curado completamente com químio e radioterapia, sem necessidade de cirurgia, no ano passado. A despeito da enfermidade gravíssima, Lula segue com seu ritmo frenético de viagens, em jatinhos de empreiteiras, para articulações de negócios.

O ambiente gelado dos voos, e as alterações de pressão no sobe e desce, podem agravar seu quadro – que requer cuidados extremos, principalmente para quem fumou, muito, a vida inteira. Além disso, Lula tem se desgastado com a situação grave da política econômica, principalmente com a instabilidade de seu afilhado Guido Mantega, programado para deixar o Ministério da Fazenda assim que a conjuntura permitir. Problemas políticos na Petrobrás também mexem com o emocional de Lula, com reflexos diretos em sua saúde.
A recente perda do grande amigo Hugo Chávez – que ainda sequer foi sepultado, só confirmando a farsa do boneco de cera de um corpo que sequer foi embalsamado – pode ter mexido com o emocional de Lula, provocando uma queda de sua imunidade. No pós-tratamento ao câncer de laringe, Lula ainda é obrigado a tomar medicamentos a base de corticóide, para evitar qualquer evolução de células cancerígenas. O problema é que tais remédios causam inchaços no corpo, por reterem líquido, e ainda têm como efeito colateral o cansaço. A área de inteligência do Exército já sabe do novo problema de Lula – que é guardado como segredo a sete chaves. A informação vazou de médicos e funcionários do hospital. Um dirigente de uma grande transnacional da área de saúde, que tem relações muito próximas com a área militar de inteligência, confirmou a triste informação classificada de 1-A-1. No Brasil, tem-se a cultura esquisita de tratar de graves casos médicos como “tema tabu” – que a imprensa sempre abafa conforme as conveniências. Pode ser que o novo problema de Lula, a partir do vazamento de agora, gere uma pronta resposta de seus médicos – que foram forçados pelas circunstâncias a agir com a máxima transparência no tratamento do problema na laringe. (Alerta total)

Sem saber, suspeitos enviam fotos feitas por tablet roubado para dono

Suspeitos de roubar um tablet usaram o aparelho para tirar fotos com os amigos momento após o crime, que ocorreu este mês em Salvador. As imagens foram enviadas para o e-mail da vítima, que tinha instalado um aplicativo com a função no equipamento. O caso foi relatado pelo gaúcho Carlos Alberto Pacheco, internauta que mora em Porto Seguro, extremo sul da Bahia, e que fazia turismo na capital baiana quando foi vítima do crime. Ele usou a ferramenta colaborativa VC no G1 para informar a situação, que aconteceu no dia 10 de março.
“No dia seguinte [ao roubo], já retornando à Porto Seguro, onde resido, à noite para dormir, parei em uma pousada e entrei na internet. Como havia baixado um software, o google/latitude.com, as fotos que eu tirava ficariam armazenadas. Grande surpresa, lá também estavam quatro belas fotos dos dois assaltantes, fazendo pose, junto com outros amigos. Absoluta falta de conhecimento técnico, é hilário mesmo. As fotos foram tiradas perto de onde fui roubado, no Nordeste de Amaralina”, relatou.

De acordo com o internauta, que tem 68 anos, ele passeava com a esposa pela orla de Salvador, nas imediações do bairro de Amaralina, no dia 10 de março, quando foi surpreendido por dois suspeitos. Um deles estava a pé e o outro de bicicleta. “Estava procurando um local para almoçar, estava caminhando pela orla, com o tablet na mão, quando abruptamente fui surpreendido por eles [suspeitos]. Eles avançaram em mim, pegaram o tablet e saíram correndo. Tentei pegar o tablet e acabei caindo, machuquei as duas mãos com o atrito com o asfalto”, disse Carlos Alberto.
Em seguida, Carlos Alberto disse ter identificado a localização do aparelho, que custou R$ 1.800, através de um outro software instalado no equipamento. “Consegui rastrear o trajeto que eles fizeram, até uma loja de informática, nas imediações. A policia foi até lá, mas os proprietários negaram tudo”, afirmou. Segundo a vítima do roubo, os suspeitos ficaram dentro da loja por 45 minutos, conforme indicado pelo aplicativo. ( Voz da Bahia)

Armas e droga em casa levam Hudson para prisão pela segunda vez

A Polícia Militar de Limeira (SP) apreendeu na noite desta quarta-feira (20) duas armas, munições (incluindo projéteis de uso restrito do Exército) e uma porção de maconha na casa do cantor sertanejo Udson Cadorini Silva, de 40 anos, da dupla Edson & Hudson. O músico foi detido pela segunda vez no dia e encaminhado ao plantão da Polícia Civil para prestar depoimento. Durante a madrugada, o cantor havia sido preso em flagrante por porte ilegal de arma. Ele foi pego com uma pistola 380 e um revólver calibre 38 municiados. As armas estavam regularizadas, mas o cantor não tinha permissão para transportá-las. Hudson pagou fiança de R$ 6 mil para responder ao processo criminal em liberdade. A PM recebeu uma denúncia anônima de que o cantor teria mais armas escondidas em casa, no condomínio Estância Eldorado, em Limeira. Com um mandado de busca e apreensão, os policiais encontraram uma carabina calibre 38, uma bereta calibre 22 e diversas munições, inclusive de uso restrito do Exército, além de uma porção de maconha. A carabina estava com registro vencido desde 2010. Já a bereta, de acordo com o que Hudson declarou aos policiais, não funcionava mais. O G1 procurou a assessoria de imprensa do cantor para comentar a nova detenção, mas não houve retorno. Segundo a PM, Hudson estava dormindo quando a equipe chegou à casa dele. O cantor não dificultou o trabalho dos policiais e até mostrou os locais onde as armas estavam, de acordo com a PM.

‘Apenas sou colecionador’
Em relação à primeira ocorrência, Hudson disse ao G1 por telefone no final da manhã que havia “esquecido” as armas no carro abordado pela PM em uma rua da Vila Cláudia, em Limeira. “Apresentei todas as documentações na delegacia para provar. Eu não tenho armas para atirar em pessoas. Apenas sou colecionador”, disse o cantor. Além das armas, havia no carro do sertanejo um soco-inglês, uma faca e um canivete.

Marido da ex acionou PM
Quem acionou a PM na ocorrência da madrugada foi o marido da ex-esposa de Hudson. O mecânico de 35 anos, que pediu para não ter o nome publicado, disse que recorreu à Polícia Militar depois de ver uma mensagem no celular da esposa em que o cantor dizia que iria passar na residência do casal, no bairro São Manoel, em Limeira. “Sei que ele anda armado e achei que iria arrumar confusão”, afirmou ao G1.

Brasil tem uma criança com síndrome de Down a cada 600 a 800 nascimentos

A síndrome de Down, ou trissomia do 21, é uma condição geneticamente determinada. Trata-se da alteração de cromossoma mais comum em humanos. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, a cada 600 a 800 nascimentos, uma criança tem síndrome de Down, independentemente de etnia, gênero ou classe social. A data foi criada em 2006 com o objetivo de valorizar as pessoas com a síndrome, conscientizar a sociedade sobre a importância da promoção de seus direitos e, assim, permitir que elas tenham vida plena e digna, como membros participativos em suas comunidades.

Edifícios para vítimas do Morro do Bumba, no RJ, serão demolidos

Quase três anos após a tragédia que matou 47 pessoas no Morro do Bumba, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, 450 famílias que estavam de mudança marcada para junho, para um conjunto habitacional no bairro do Fonseca, vão ter que esperar ainda mais. Dois prédios apresentaram rachaduras e terão que ser reconstruídos, como mostrou o RJTV.
A obra é financiada com recursos da Caixa Econômica Federal, pelo projeto habitacional Minha Casa Minha Vida e cada um dos prédios custa 2 milhões de reais, num total de 22 milhões. A construtora responsável, a Imperial Serviços Ltda, admite que dois edifícios do complexo estão condenados.
Segundo Waldemar Neto, gerente da empresa, a demolição é uma questão de segurança. “O grande acúmulo de água acabou levando ao solo e gerando trincas no empreendimento. Não vamos nem fazer reforço, nada, colocar no chão para poder fazer de novo e ter melhor segurança”, disse.

Toda a obra está paralisada e um novo prazo de entrega terá que ser programado. A previsão da prefeitura de Niterói era junho deste ano. Segundo a Caixa Economica Federal, a construtora contratada terá que arcar com os custos da reconstrução dos dois prédios.
Peritos que foram contratados pela empresa também estão analisando os outros edifícios para verificar se há risco para os futuros moradores. O conjunto de 11 prédios, com 40 apartamentos cada, foi projetado para receber famílias que perderam as casas no Morro do Bumba, que desmoronou matando 47 pessoas. A tragédia está prestes a completar três anos.
Segundo a associação das vítimas, 3200 famílias recebem aluguel social e outras 80 moram até hoje em abrigos.
A Imperial Serviços informou que acionou a seguradora para cobrir os custos com a reconstrução dos prédios. A prefeitura de Niterói afirmou que o objetivo é construir 5 mil unidades habitacionais nos próximos três anos, com previsão de entrega das primeiras moradias ainda este ano. (G1 RJ)

Cantor Emílio Santiago morre no Rio

Morreu aos 66 anos o cantor Emílio Santiago, que estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. A informação foi confirmada pela assessoria da unidade hospitalar. O sambista sofreu um acidente vascular cerebral isquêmico (AVC), no dia 7 de março.
O motivo e o horário da morte não foram informados pela assessoria do hospital. O local e horário de enterro também não foram divulgados.
saiba mais
O cantor, vencedor de diversos festivais de música, iniciou a carreira na década de 70 e gravou grandes sucessos como Saygon, Lembra de Mim e Verdade Chinesa. (G1)

Número de mortos em decorrência da chuva em Petrópolis chega a 24

Bairro Quitandinha foi um dos mais atingidos
Subiu para 24 o número de mortos vítimas de deslizamentos e desmoronamentos em Petrópolis, na região serrana do Rio. De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec), a cidade tem 21 pontos de escorregamentos e alagamentos. Duzentos e cinquenta bombeiros e agentes da Defesa Civil trabalham para resgatar as vítimas. De acordo com a Sedec, os corpos foram encontrados em seis bairros (cinco no Quitandinha; um em Doutor Thouzet; dois em Alagoas; um em Lagoinha, quatro no Bingen e cinco em Independência). Duas pessoas morreram em hospitais. A secretaria não divulgou em que locais foram resgatados os últimos quatro corpos localizados nesta tarde.
Mais cedo, bombeiros retiraram de dentro de um rio dois corpos de vítimas soterradas na vila São Joaquim, em Petrópolis. O rio passa a cerca de 500 metros do local onde ficavam as casas. Moradores encontraram o corpo de um adolescente identificado como Vinícius e chamaram os bombeiros. Logo depois, eles encontraram outro corpo no riacho. Pela manhã, os bombeiros resgataram o corpo de um menino soterrado na Vila São Joaquim, no bairro Quitandinha. O secretário estadual de Defesa Civil, coronel bombeiro Sérgio Simões, estima que entre 10 e 15 pessoas ainda estejam soterradas pela avalanche de lama que destruiu pelo menos três casas nesta localidade no fim da noite de domingo.

“O trabalho aqui está muito difícil porque o terreno está enlameado. Até os cães farejadores afundam na lama e como o terreno ainda está encharcado há risco de novos deslizamentos”, disse. Parentes de desaparecidos continuam a acompanhar as buscas. O zelador Davi Ventura Fernandes, de 48 anos, está desde a manhã de segunda-feira no local, em busca de informações do irmão, Pedro Ventura Fernandes, de 45 anos, da mulher dele, Cristina, de 44, e dos dois filhos do casal, Nicolas, de 8, e Letícia, de 4. “Eu soube da tragédia quando saí do trabalho, às 7 horas de segunda. Vim direto para cá, mas a viela que levava até a casa do meu irmão está interditada pelos bombeiros. Sei que eles estão lutando bastante, mas até agora não conseguimos nada. Hoje eu vim de botas para ajudar nas buscas. Meu irmão sofreu muito para construir a casinha dele. Carregou na mão as pedras e os tijolos, morro acima. Ele se preocupou em fazer a contenção de uma encosta próxima e fez os pilares da casa direitinho, mas não adiantou. Somos nascidos em Santa Maria Madalena (no interior do Estado) e viemos para Petrópolis há mais de 20 anos para conseguir uma vida melhor”, disse Fernandes, que também trouxe seu outro irmão, José para ajudar a encontrar Pedro e sua família.
Em outra casa que desabou, vizinhos contam que havia oito crianças, que participavam de uma festa de aniversário da mãe delas, Maria Cristina Bender. Jesus dos Reis Neves, pai de um dos meninos, Luís Fernando Mendes, de 16 anos, também está desde ontem à espera do resgate. Na tarde de segunda-feira, ele chegou a cavar o barranco com as próprias mãos à procura do menino, quando os bombeiros interromperam as buscas. Mas foi retirado do local, por motivos de segurança. “Vamos tentar chegar ao local do desabamento pela parte de baixo, pela rodovia (BR-040). Vou procurar meu filho com a ajuda de moradores antigos, já que por aqui, na parte de cima, os bombeiros não estão nos deixando ajudar. Além da Vila São Joaquim, bombeiros fazem buscas no bairro Alto Independência, onde também há informações de desaparecidos. Cerca de 250 bombeiros participam do trabalho, sendo 130 do Quartel de Petrópolis e 120 especialistas em busca e salvamento que vieram do Rio de Janeiro. (Msn)

Chuvas no Rio de Janeiro provocam dez mortes nas últimas 24 horas

A Secretaria de Defesa Civil de Petrópolis (RJ) já registra dez mortes em razão do temporal que atinge a cidade desde à tarde deste domingo (17). Ainda não há informações sobre os bairros onde ocorreram os desastres nem sobre a quantidade de feridos e desabrigados. O município da região serrana foi o local mais afetado pelas fortes chuvas que atingiram o Rio de Janeiro nas últimas 24 horas, com 21 pontos de escorregamento ou alagamento. Angra dos Reis, Mangaratiba, Niterói, Teresópolis e Petrópolis também foram atingidos. A rodovia Rio-Juiz de Fora está parcialmente interditada em sete pontos, por conta de deslizamentos de terra. Na serra de Petrópolis, a chuva causou queda de barreira na BR-040 e deixa o tráfego em meia pista nos sentidos Minas Gerais e capital fluminense. Informações do UOL.

Garota de 11 mata amiga de 13 após briga

Uma menina de 13 anos foi assassinada pela colega de 11 anos. Lívia Pereira foi morta com uma facada no peito. O crime aconteceu no distrito de Santana, em Conceição da Barra, no Norte doEspírito Santo. A menina suspeita do assassinato foi levada, junto com os pais, para o Conselho Tutelar de Conceição da Barra e prestou depoimento à polícia nesta quinta-feira (14).
Segundo a polícia, as duas tiveram um desentendimento no colégio, nesta quarta-feira (13). “Elas discutiram no colégio. A menina foi para casa, pegou a faca, voltou e pegou minha filha distraída. Quando ela virou foi a hora que levou a facada”, conta José Pereira, pai de Lívia. A vítima foi levada ainda com vida para o Hospital Roberto Silvares, em Linhares, mas morreu durante a madrugada. O pai disse que as duas colegas já tiveram um desentendimento antes, mas não soube explicar o motivo. “A gente perde uma filha, uma vida, de uma hora para outra”, lamenta José Pereira. (G1)