Pessoas são mais generosas com quem tem chulé e mau hálito

Pessoas são mais generosas com quem tem chulé e mau hálitoExcesso de suor nas axilas, chulé, mau hálito geralmente geram desconforto às outras pessoas, especialmente no ambiente de trabalho. No entanto, não ter sempre um cheiro bom pode despertar a piedade dos colegas e fazer com que estas pessoas recebam mais atenção. Segundo um estado da Universidade KU Leven, da Bélgica, o forte odor corporal é associado à vulnerabilidade, o que aumenta os sentimentos de preocupação e faz com que as pessoas próximas tenham mais cooperação ao lidar com alguém mal-cheiroso como uma forma de expressar que sente muito por ela ter de passar por isso. As informações são do site Daily Mail. “Os cheiros são onipresentes no cotidiano e têm grande importância, basta avaliar o grande uso de perfumes e fragrâncias, mas o estudo mostra que na maioria das situações o fator desagradável do odor ruim aumenta os sentimentos de ajuda das pessoas ao redor”, explicou o responsável pelo estudo, Jeroen Camps.
 
O estudo foi realizado em três etapas. A primeira reuniu 36 participantes divididos em dois grupos: o primeiro sentia o cheiro de camisetas sujas, depois de terem sido usadas e mergulhadas na cerveja, enquanto a outra equipe passava pelo processo com peças de odor neutro. Em seguida, eles deviam relacionar o cheiro com alguém do trabalho, além de classificar estes colegas de alguma forma, como “sinto pena dele” ou “acho esta pessoa patética”. Depois dos testes, os resultados mostraram que a pena era uma descrição muito comum dada aos colegas relacionados ao mau-cheiro. Em um segundo experimento, 62 participantes eram convidados a se sentarem ao lado de pessoas com diferentes cheiros – bons e ruins – e depois recebiam uma série de créditos, como ingressos para cinema, que podiam ficar para si ou doar. Foi observado que os voluntários que dividiram o banco com pessoas menos cheirosas foram mais piedosas e doaram muito mais créditos. Uma terceira observação foi feita com 42 pessoas que se mostraram ainda mais solidárias em relação a quem consideram não ter culpa do cheiro que carregam.

China: médicos implantam mão de paciente na perna por 1 mês

Médicos conseguiram reimplantar com sucesso a mão de um homem depois de prendê-la à perna deste por um mês na China. Xiao Wei teve a mão decepada em um acidente de trabalho em 10 de novembro. As informações são do site do jornal Daily Mail.​ Em um hospital de Changde, os médicos se disseram incapazes de reimplantar a mão e o encaminharam a um hospital maior, em Changsha. Os cirurgiões afirmaram que poderiam fazer a cirurgia, mas não no momento devido aos ferimentos do chinês. Eles então implantaram a mão na perna do paciente para que ela não morresse. Um mês depois, Wei tinha se recuperado o suficiente para passar pela cirurgia. Apesar do sucesso do reimplante, ele ainda precisará de outras cirurgias. Os médicos, contudo, estão confiantes de que ele se recuperará plenamente. (Terra)

Teste de aids será vendido em farmácias a partir de 2014

Um teste caseiro para diagnóstico de HIV começará a ser comercializado pelas farmácias brasileiras a partir do próximo ano. Desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o exame é feito com base em análises de saliva e, antes do início das vendas, será oferecido para parcelas da população consideradas vulneráveis para a doença, como profissionais do sexo, gays, usuários de drogas e travestis.
O produto deve chegar ao mercado em abril. “Esse é o futuro”, disse ao jornal O Estado de S. Paulo o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa. “O teste é uma ferramenta valiosa para ampliar o diagnóstico da doença”, completou. Atualmente, o governo estima que 150 mil pessoas tenham HIV no Brasil e não saibam.

Parabéns aos Médicos pelo seu dia!

Ser Médico… 
aliviar sofrimentos 
penetrar fundo 
nos tormentos da humanidade

Ser Médico… 
dar de si profundamente 
sentir a dor do doente
 compreender a sua sorte 
é se doar por inteiro 
é romper o nevoeiro 
que separa vida e morte 

 Ser Médico… 
uma vida a dar vidas 
a mão que cura feridas 
a palavra que conforta 
o olhar compadecido 
ele é sempre o amigo 
que ao bater lhe abre a porta 

Ser Médico… 
é infundir confiança ao velho,
 ao jovem, à criança 
é ser de Deus o instrumento 
dando alívio à dor alheia 
tecer fibra a fibra uma teia 
seguindo o seu juramento 

Ser Médico… 
é ter na mão a leveza 
agir com delicadeza 
é ver em cada criatura 
o pai, a mãe, o filho, o parente 
para que seu trabalho apresente 
o dom verdadeiro da cura 

Ser Médico… 
é empreender com carinho 
conhecer e traçar seu caminho 
sem jamais pensar no tédio 
comprimidos não resolvem 
nem diplomas se devolvem…

Mulher sofre fratura na coluna após ônibus passar por quebra-mola

Uma mulher de 59 anos sofreu uma fratura na coluna quando estava dentro de um ônibus urbano em Feira de Santanaa 108 km de Salvador. De acordo com a família de Zumira de Jesus Barbosa, o acidente aconteceu após o veículo passar por um quebra-mola.A filha da passageira, Fabiane Barbosa contou que ao passar pela estrutura urbana, Zumira foi projetada para cima e caiu do banco do veículo. Ela quebrou um dos ossos da coluna e teve que ser internada no Hospital Geral Clériston Andrade. Fabiane disse também que o médico da unidade informou que a mãe dela precisa ser transferida para Salvador, onde deverá fazer uma cirurgia para colocar uma prótese.
Fabiane reclama que a Empresa Princesinha, responsável pelo transporte da passageira, não forneceu assistência médica à família. De acordo com Roque Gomes, gerente da empresa de ônibus, o seguro já foi acionado para que a mulher possa fazer a cirurgia.
A Secretaria de Saúde da Bahia informou que Zumira de Jesus conseguiu uma vaga em um hospital de Salvador para fazer a cirurgia, e deve ser transferida para a capital baiana ainda nesta quarta-feira (16).(G1)


Emoção: mãe se despede dos filhos mortos em acidente na Ondina

A emoção tomou conta do cemitério Campo Santo, na Federação, na manhã deste sábado (12) em Salvador. Os corpos dos irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias, de 22 e 23 anos, estão sendo velados em uma das capelas do local. Marinúbia Gomes Dias, mãe dos jovens, chegou ao local muito emocionada.  Ela foi confortada pelos amigos, que também estiveram presentes na despedida. Mais cedo, na rede social Facebook, Marinúbia escreveu: “Meu Deus! que dor… ter que enterrar meus pintinhos!!!!”. 

Os irmãos que trabalhavam como modelos foram mortos após a médica Kátia Vargas, a bordo de um veículo Kia Sorento, ter tocado na motocicleta onde estavam. Eles colidiram contra um poste e morreram no local. O acidente aconteceu na manhã de sexta-feira (12), no bairro de Ondina e foi registrado por câmeras instaladas na região. Veja aqui. 

Profissionais do ‘Mais Médicos’ começam a atuar na Bahia na segunda-feira

Os profissionais que vão atuar no programa ‘Mais Médicos’, do governo federal, concluem o treinamento nesta sexta-feira. Eles foram acompanhados na manhã desta quinta-feira pelo secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, durante aula realizada no Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador. “A partir da próxima segunda-feira, eles serão encaminhados para seus locais de trabalho. No momento, 30 cidades da Bahia serão beneficiadas com a chegada desses profissionais, nesta primeira etapa. Muitos outros virão nas etapas seguintes”, afirmou Solla. Os 67 profissionais que se graduaram no exterior passam por treinamento em Salvador desde 26 de agosto, assistindo aulas sobre saúde pública brasileira e língua portuguesa. Desses, 59 estão confirmados para atuar na Bahia. Eles também recebem orientações sobre o Sistema Único  de Saúde (SUS), informações específicas sobre o município onde vão atuar e visitam unidades de saúde da família. “Os professores foram muito profissionais. Recebemos orientações e me sinto preparada para atuar em Sítio do Quinto. Sabendo como é a cidade e o que vamos encontrar é muito melhor para nós e para os pacientes”, disse a médica cubana Ivett Tiloto. (Jornal da Mídia)

Professor critica venda ilegal de dentes em Feira de Santana

“O dente é um órgão e a sua utilização sem a devida autorização é crime””. O alerta é do professor e coordenador do Banco de Dentes Humanos (BDH) da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Júlio César Motta Pereira, ao afirmar que na cidade é comum o comércio de dentes para pesquisas, mas a pratica é ilegal.“ 
“Tenho vários alunos que costumam adquirir dentes em clínicas e até em cemitérios. É crime, pois o dente só pode ser utilizado para estudo, pesquisa ou qualquer outro meio, desde que haja a autorização por escrito do paciente ou dono. Mas ressalto que estes dentes são para estudo e não para implantes””, afirma.

Exigência – Motta Pereira afirma que este tipo de ilegalidade acontece porque alguns professores exigem que os seus alunos apresentem uma arcada dentária completa, ou seja, que eles providenciem os 32 dentes para que sejam estudados, sem se preocupar com o controle de origem deste tipo de material.“

“Então, os alunos, por pressão acabam por recorrer a colegas que têm ou trabalham em clínicas e que costumam jogar os dentes fora. Ou até aos cemitérios, onde os coveiros costumam retirar os dentes para vender aos estudantes. Mas esta é uma prática em nível nacional e não só aqui em Feira de Santana””, observa o professor.
Ele alerta que estes profissionais estão levando os alunos a cometer crime previsto na Lei 9.434, com pena de reclusão de 2 a 6 anos (ou 3 a 10 anos se em pessoa viva, caso obtenham ilegalmente órgãos humanos ou parte do corpo sem o devido consentimento legal por doação do seu próprio dono e/ou doação e confirmação por familiares habilitados). ““Muitos desconhecem a lei””. (A Tarde)

Dia da Masturbação: veja cinco dúvidas respondidas por uma sexóloga

Corre na internet o burburinho de que esta sexta-feira (05) é o Dia Internacional da Masturbação. No entanto, há poucas evidências de que a data foi instituída formalmente e talvez por isso, pouca gente saiba. Certo mesmo, é que segundo um blog da revista Samuel, de imprensa independente, o mês de maio seria o Mês Internacional da Masturbação. O mês ficou marcado quando, em 1994, a pediatra Jocelyn Elders perdeu o emprego após ter discursado em um evento da ONU sobre o autoprazer na sexualidade feminina. 
 
Mas… Maio ou julho, quem se importa? A masturbação é presente na vida de muitas pessoas diariamente e com o assunto em evidência nas redes sociais, o Bocão News abriu espaço para os leitores tirarem suas dúvidas mais cabeludas. A reportagem elegeu cinco delas e as enviou para a sexóloga especialista em casais e família, Mirna Rosier. Confira as perguntas e claro, as respostas. Depois, disso? Ah… Curta esse dia! 
Luis Eduardo – Faz mal se masturbar todos os dias?  De onde vem o sêmen dos homens? A mulher também ejacula? Existe mesmo o ponto G da mulher?

Resposta – A masturbação é um hábito saudável e faz parte do processo de descoberta sexual. Ela pode se tornar um problema quando interfere na rotina do indivíduo, no seu trabalho, na vida social, no seu relacionamento. Assim, o indivíduo apresenta uma dificuldade de controle, comportamento presente em viciados e compulsivos sexuais.


O sêmen fica armazenado nos testículos e é composto por três substâncias: os espermatozóides que são produzidos nos testículos, o líquido seminal, produzido na vesícula seminal e o líquido prostático, produzido na próstata. Estas substâncias se juntam na uretra e são liberadas na forma de jato no momento da ejaculação.
 
A ejaculação feminina pode acontecer, mas não é muito comum e mesmo aquelas mulheres que relatam tal experiência, não é muito frequente. Comum acontecer em mulheres que possuem a musculatura pélvica fortalecida.

Para mim, o ponto G na mulher se chama clitóris, diante da quantidade de terminações nervosas da região e extrema sensibilidade.
Anaclecio Oliveira – É verdade que nasce cabelo na mão de quem se masturba?
 
R – Este é um mito popular criado com o intuito de reprimir o hábito natural e saudável da masturbação. O que deve ser evitado é o excesso da masturbação para que isto não se torne um vício.

Edu Moreira – Uma “punheta” pode ser melhor do que uma “foda”?
 
R – A masturbação é uma atividade solitária “punheta”, enquanto que a relação sexual “foda” é uma atividade para ser realizada a dois. Uma não exclui a outra e ambas promovem experiências muito diferentes. É muito comum os indivíduos ao se casarem ou estabelecerem um relação mais estável excluírem a masturbação de suas vidas por motivos diversos. Tremendo engano! O conhecimento sexual adquirido através da masturbação é diferente da relação sexual, cabe a cada um fazer suas avaliações e não excluir nenhum desses hábitos de sua vida.

Robson – Gostaria de saber se masturbar todos os dias é uma doença? Tipo, eu preciso de um psicólogo?
R – Caso a masturbação interfira na sua rotina, trabalho, vida social, relacionamento, apresentando uma dificuldade de controle deste comportamento, procure ajuda de um psicólogo. Pode ser o início de uma compulsão. Caso você se masturbe algumas vezes ao longo do dia e isto não interfira nas suas responsabilidades diárias, não se preocupe, você apenas pensa um pouco mais em sexo, mas consegue dar seguimento as suas responsabilidades e compromissos.
Miretty Di Biachio – Já que amanhã (hoje) é o dia da masturbação… É normal a pessoa se masturbar sempre mesmo sendo casado? Tenho um amigo que se masturba todos os dias.

R – A masturbação é um hábito natural devendo ser praticado pelo indivíduo durante todo o seu período de atividade sexual. O fato de ser casado não deve excluir a masturbação. As experiências promovidas pela masturbação e pela relação sexual a dois são diferentes além do que, nem sempre temos uma parceria sexual disponível à prática do sexo em todos os momentos que sentimos desejo sexual.

Transplante de medula elimina HIV do sangue

Dois portadores de HIV que receberam transplantes de medula óssea para tratamento de câncer no sangue estão livres do vírus há várias semanas, desde que o tratamento com antirretrovirais foi interrompido. Segundo os médicos, ainda é cedo para dizer que eles estão “curados”, mas os resultados, apresentados ontem numa conferência científica na Malásia, são vistos com muito interesse por pesquisadores que buscam uma cura para a aids.
Os dois pacientes – cujas identidades são mantidas em sigilo – foram tratados num hospital de Boston, nos EUA. Eles tinham linfoma e receberam transplantes de medula óssea para curar o câncer, não a aids, mas o HIV desapareceu do sangue deles após a cirurgia.
Os transplantes foram realizados entre dois e cinco anos atrás, e os primeiros resultados do efeito sobre o HIV foram apresentados em julho do ano passado, mas naquele momento eles ainda estavam tomando antirretrovirais. A novidade agora é que os pacientes pararam de tomar as drogas – um deles há 15 semanas e o outro, há 7 – e, mesmo assim, não há níveis detectáveis do vírus no sangue deles.

Os dados foram apresentados na reunião da Sociedade Internacional de Aids, em Kuala Lumpur, capital da Malásia. “Não podemos ainda falar em cura. O tempo de acompanhamento é muito curto”, ressaltou a presidente da conferência, Françoise Barré-Sinoussi, que foi uma das cientistas responsáveis pela descoberta do HIV, nos anos 1980. Quando um paciente para de tomar os medicamentos, o vírus costuma reaparecer no sangue cerca de um mês depois, mas isso varia de pessoa para pessoa.
“A doença poderá voltar daqui uma semana, ou daqui seis meses. Só o tempo vai dizer”, ressaltou, também, um dos autores da pesquisa, o médico Timothy Henrich, da Faculdade de Medicina de Harvard e do Brigham and Women’s Hospital, em Boston. “Não há prazo para declarar uma cura. Esses pacientes terão de ser acompanhados por toda a vida”, disse ao Estado o infectologista Alexandre Barbosa, da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Botucatu. “Por isso os resultados precisam ser vistos com cautela.”
Apesar de o vírus não ser mais detectado no sangue, é possível que ele permaneça “escondido” em algumas células do organismo e volte a se multiplicar, explica Barbosa. Implicações. Mesmo que os pacientes sejam eventualmente declarados “curados”, o procedimento não poderá ser usado em grande escala como uma terapia antiaids, alertam os especialistas. Isso porque o transplante de medula óssea é um procedimento de alto risco, com 10% de risco de morte do paciente.
Em portadores do HIV, que já têm o sistema imunológico debilitado pela doença, esse risco é ainda maior, segundo Barbosa. Ainda assim, para os pesquisadores, é um resultado importante, que pode apontar o caminho para estratégias mais eficientes de controle da doença – ou até mesmo o desenvolvimento de vacinas. (Estadão)